Blog da Perestroika

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Filme novo de Dijean




As meninas estão cada vez mais espertas. Mais ácidas, mais tudo.
Elas seduzem, usam e se aproveitam cada vez mais dos meninos.

Esse trabalho é um belo exemplo de planejamento e criação trabalhando juntas,
e o resultado ficou bem bacana.
Nas aulas entrarei mais nos detalhes do case completo.
Sou suspeito, porque estou na ficha, mas preciso dizer que adorei o filme.
Nunca tinha filmado com animais, é uma experiência bem legal.
Espero que gostem.

21 comentários:

perestroika disse...

Adorei a frase: OPA!

gabe disse...

Hein. Por quê vocês não colocam seus nomes nos posts?
Assumam o que escrevem, pois!! hahaha

é sério.

Anônimo disse...

o trabalho do planejamento tá bem evidente, mulheres se sentindo cada vez mais poderosas com relação aos homens. agora, duas coisas: cachorros na coleira?! se fosse ao contrário (homens sendo cortejados por cadelas) rolaria conar certo. e outra, enaltecer esse tipo de comportamtento (faça o que você quiser com os meninos.) também não soaria machista invertendo os papeis?! Gostei do "opa", de resto achei péssimo.

Anônimo disse...

o trabalho do planejamento tá bem evidente, mulheres se sentindo cada vez mais poderosas com relação aos homens. agora, duas coisas: cachorros na coleira?! se fosse ao contrário (homens sendo cortejados por cadelas) rolaria conar certo. e outra, enaltecer esse tipo de comportamtento (faça o que você quiser com os meninos.) também não soaria machista invertendo os papeis?! Gostei do "opa", de resto achei péssimo.

mariana disse...

mas que inveja hein...

Zololkis disse...

SECURITY CENTER: See Please Here

Anônimo disse...

Bem produzido mas de conceito rasteiríssimo e ultrapassado.

Anônimo disse...

hahahahhaha.
opinião própria é sinal de inveja para os que só dizem amém.

mais sábio é joão de almeida neto que diz: "é melhor ser boca braba, que não ter boca pra nada."

sem ofensas.

Guile Grossi disse...

Não se troca mercadoria com um navio sem bandeira.

lucas rodrigues disse...

bem posto, Guile.
Agora que já sabes meu nome, mesmo que não me conheça, tens mercadoria (no caso, argumentos), para defender esse conceito de machismo invertido?
ou tbm só entrou pra dizer amém?

Bandeira disse...

Toma!

Anônimo disse...

O dia que eu tiver inveja de uma bosta dessas cancelem a minha carteirinha de publicitário...

Anônimo disse...

o rech é um imbecil, só sabe usar aquele chapeu feio e idiota

Lucas Moraes disse...

Mas a propaganda faz isso: usa situações comuns, massivamente difundidas, para se aproximar do público. Se existe essa verdade, que assim foi considerada pelas pessoas, porque não usar num comercial? Hein, Lucas Rodrigues?

lucas rodrigues disse...

concordo com o que tu disse, lucas moraes, mas o ponto em questão não é esse. inverta os papéis do comercial: amigos tomando cerveja lépidos e faceiros, com suas respectivas vacas, cadelas, whatever... no final, duas delas ainda disputam a atenção de um dos homens, que termina o comercial com cara de garanhão.

daí assina: faça o que quiser com as garotas.

te soa bem?
a mim não.
assim como esse comercial também não me convence.
abs.

Lucas Moraes disse...

Pois é, Felipe Anguinoni (te entregou no "idiota"), mas o caso que tu citou à cima não foi utilizado na peça. Por isso, acho que o comercial funciona e não merece ser crucificado.

Anônimo disse...

Não briguem.
O comercial é para meninas.
O conceito foi testado. E aprovadissimo.

Ninguém disse que tem que inverter papel de comercial para ele funcionar. O que importa é ele ser coerente com o público para o qual foi criado.


Já pensaram no comercial do Primeiro sutiã transformado no da primeira cueca? Ficaria ruim, mas não tira o mérito do Primeiro sutiã.


Poderíamos continuar essa discussão ao vivo na perestroika. Fica o convite.
Abraço, rafa

Guile Grossi disse...

perdi.

lucas rodrigues disse...

fique claro, não há briga alguma. só levantei uma questão que me incomoda: uma postura que a pouco foi superada(?!), o machismo, apresentado de forma invertida como se fosse bacana. "Ninguém disse que tem que inverter papel de comercial para ele funcionar. O que importa é ele ser coerente com o público para o qual foi criado."

amém!

era isso que eu queria.
a propósito, esse convite para discutir ao vivo na perestroika, dá direito ao ingresso?
abraço

Lucas Moraes disse...

Pra mim, era o Felipe nos testando.
Fazer o quê se os posts são sempre interessantes e inteligentes?

Anônimo disse...

como vou levar a sério uma escola com esse nível de discução?