Blog da Perestroika

quinta-feira, 24 de abril de 2008

O preço da fama.

A fama traz muitas vantagens, mas também costuma cobrar um preço. Seja com as celebridades, que são infernizados 24h pelos papparazzi. Seja com as empresas e suas marcas, que viram alvo de protestos, passeatas - e do Michael Moore.

Faz todo o sentido. Quanto mais famoso é o alvo da sátira, maior a repercussão que o assunto ganha. E se a questão é justamente ser ouvido, nada mais lógico.

Quando alguém decide avacalhar com o cigarro, é muito mais legal atacar o Homem Marlboro, ícone-maior da indústria tabagista. E não um cigarro qualquer, que ninguém conhece.

Parece que quem está pagando o pato dessa vez é a Unilever. Vejam o viral da Dove e, em seguida, a dura crítica que ela está enfrentando.





Dica da Jennifer Heemann.

2 comentários:

lucas disse...

e não é justo que assim seja?

Anônimo disse...

neste caso especifico, ou mesmo no caso da marlboro, as satiras sao bem justificaveis.

tg