Blog da Perestroika

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Final de curso

Este post é dirigido a vocês, alunos da Turma II.

Durante 11 encontros (ainda falta uma aula), vocês tomaram chapuletadas, ouviram críticas e sugestões. Falamos que vocês precisavam se puxar mais, que assim tava brabo e tal.

Acho que deu resultado, mas quero saber se vocês perceberam isso.

Nestas duas últimas noites, os professores da Perestroika se reuniram para discutir o desempenho de vocês. (Tentar) jogar os jogos (jogar os jogos é um horror!), ver as Coisas, rever Vulgo, Olympikus, Analógico, etc.

Eram caixas e mais caixas, links do YouTube, bilhões de .doc, .pdf, .jpg e emails, e quero dizer pra vocês que ao final do encontro desta madrugada, estavamos todos surpreendidos. E muito felizes, orgulhosos mesmo. O crescimento de vocês em relação ao que eram quando entraram no curso é espantoso. De verdade.

A sensação de que conseguimos acordar o demônizinho criativo que tem dentro de vocês estava latente. Quebraram a Matrix, pensaram folha da bolha, ligaram os pontos. Tudo isso só roubando uma coisa: a cor do lado.

Em criação se diz muito que a qualidade do trabalho de um profissional é analisada pela sua obra. Não tem mágica. Quem só fez coisa ruim não é bom. Fácil assim. E ontem tivemos orgulho de perceber nas idéias, no acabamento, no resultado dos trabalhos, o amadurecimento de vocês. Isso que são 12 encontros, um semestre de desenvolvimento.

E aí resolvi colocar a questão na roda agora: vocês percebem isso? Conseguem enxergar que, independente de indicação, Bóris, iPod, etc, você, sim, tu mesmo meu, é hoje melhor do que era no primeiro dia de aula?

Ou é coisa da nossa cabeça?

O curso não acabou.
Tem ainda a última aula. E a festa.

Mas já acho que 80 litros de chope vai ser pouco pra comemorar.

(em tempo: só hoje consegui liberação na Azaléia para fazer log in no blog, pois isso a falta de posts)

24 comentários:

M. Morem disse...

Com certeza.

Marcelo Jung disse...

Bah!
Com certeza!
Aprendi pra cacete com o curso.
Uma pena que a faculdade/universidade que a gente paga, não é como a Perestroika.
A diferença nas técnicas, no conteúdo e na metodologia do curso, nos aproxima um BILHÃO de vezes mais do mercado.
O feedback que vcs, professores, nos dão é muito, muito importante.
E por mais cruel que seja, a gente sabe que é a mesma exigência das agências.
Então é isso.
Se vc forem abrir uma faculdade um dia, espero ter um desconto razoável como ex-aluno Perestroikiano.

Abs

g!panichi disse...

Sem sombra de duvas.

Leticia disse...

Notei que eu levantei do sofá e fiz mais... hehehehe... claro, acredito que tenho muito a caminhar ainda... mas não vou falar mais, pois isso é exatamente o que estou fazendo pro vídeo do Tiago, hehehehehe...

p.s.: e com certeza o curso ajudou mais que um semestre de facul...
valeu!

Maurício Antunes - epa!! disse...

Eu me libertei de diveras formas, posso não ter contribuído ao máximo com todos os temas (por diversos motivos), mas amadureci pra caramba.

Minha timidez diminuiu.

Minha percepção almentou.

Voltei a escrever no blog. (mesmo que meu português seja uma bosta, mas e dai)

Sempre lembro das dicas quando crio. As dicas ficam encrostadas na cabeça, não adianta.

A qualidade no trabalho almentou pra caramba.

A busca por novos métodos tbm almentou muito.

Alguns valores que tinha como certos cairam por terra. E isso foi ducaralho.

Conhei uma galera muito massa.

"Fala menos e faz". Mas isso eu vi tarde. (erro de merda)

Bah! Tem muitas outras coisas que só quem faz o curso sabe que muda!

E fora que vocês (professores), fazem a galera se puxar pra caralho! Não tem coisa melhor para fazer o neguinho tirar a bunda da cadeira.

Anônimo disse...

Me fez pensar mais sobre tudo. Espero que ajude.

gabe

johnnie disse...

Sempre muda, se o curso é bom, muda e muda bastante e para melhor. Eu fiz ESPM tbm a alguns anos atrás e me lembro dos trabalhos que eu fiz no inicio e comparava com os feitos no final. Os do inicio eram uma merda. Na perestroika foi igual (apesar de ter feito poucos trabalhos). Onde eu trabalho isso é até um pouco ruim, pois as coisas aqui precisam ser feitas muito rápido, quando digo rápido é rápido mesmo tipo 30 minutos e as vezes os trabalhos não ficam legais e isso eu vejo e não gosto. Mas fazer o que, é preciso faturar. Eu acho que os professores da Perestroika descobriram a matrix do ensino de propaganda. Minha opinião: continuem assim, turma reduzida, poucas turmas. Ah! e o módulo 2 teria que ser no sábado senão não consigo fazer.

Kroeff disse...

Porra, se mudou. Pra mim é assim, tem níveis. Tu acha que tá bem ali naquele nível, como nas aulinhas de criação na facul, e ás vezes pensa que nem tem outros níveis. Daí KABLUM vem outro nível, daí tu te adapta, te puxa, e consegue disputar pelo menos. Depois acho que deve ficar bom naquele nível e achar que não tem outro e KABLUM de novo, e assim vai a vida. Sempre tem um nível maior. Até em vocês, professores, vejo isso. vocês tão tri bem, sabem pra caralho, mas acho que sabem que tem outros níveis de dificuldade. Que nem os caras lá, Marco Loko e tal, que foram trabalhar na Alemanha, imagina o puta desafio que foi! Então agradeço o desafio que me foi dado, e vamo pra cima da vida! Abraço Kroeff

Gabi disse...

Bah!! Com certezaaa.
Tipo quando entrei, entrei pensandoo ahh qro ganhar, qro ser a melhor aí vi que porra, tem muita gente boa aqui dentro, e aquilo tava me bloqueando, eu tva estressada e não fazia nem o mínimo. Nesse meio tempo, posso não ter feito todos os trabalhos, não ter dado o máximo de mim, mas vi q bah, Perestroika é muito mais que ganhar o Bóris, ipod e ser indicado, tudo isso é demais óbvioooo. Mas cresci horrores.

É redação que eu qro? Então tá. Fiz muitoooos títulos, larguei o trab que não era o q eu qria, terminei o portfólio q tva enrolando desdo 4º sem, entrei numa agência, como ass. de redação, fui em N palestras, li livros, vi referencias, aprendiiii muitoooo!!!


Nesses 3 meses acho q foram os q mais aprendi mais na vida! Valeu? Pfff... se valeu né guris.

Só tenho a agradescer a vcs =D

Anônimo disse...

Aprendi pra caraaaaalho. Puta que pariu!
Os cobaias elogiaram muito no semestre anterior, eu entrei com uma grande expectativa e - graças a deus - vi que o curso é foda mesmo.
Foi muito legal testar e aprovar minha redação, que era meu primeiro objetivo.
Mas melhor ainda foi perceber que o meu jeito de viver e encarar a vida é parecidíssimo com o do Márcio, do Tiago, do Rafa, do Felipe, do Beto. Que são PESSOAS que eu admiro muito. Eu fiquei 300% satisfeito com o curso e comigo.
Grande abraço,
Lucas

Maurício Antunes - epa!! disse...

Concordo com a gabi! Perestróika é mais, mas muito mais mesmo, do que entrar pensado em ser fodão e fazer coisas mirabolantes pra ser o "módafóca" do pedaço!

E sim. Estes três meses foram muito foda! vou sentir falta horrores!

:)

Guile Grossi disse...

puts, eu não sei aonde eu ia parar só com a puc.

g!panichi disse...

Guile: Num concurso de sósias do McGiver.

(Sábado vai ser o último dia de piadas sobre mullets, prometo.)

Guile Grossi disse...

ganhei meu dia. ehEAHuaheuha

Amara disse...

Estes dias dei uma lida no questionário que entreguei para vocês. Vi que o objetivo que eu tinha quando entrei não foi atingido. Simplesmente porque não era o que eu precisava. Ou seja, o curso me surpreendeu muito pelos efeitos que vi em mim e nos colegas, das mais diferentes formas. Como disse o Kroeff, cada um tem sue degrau a superar e sua escadaria a conquistar.
Sim, Valeu muito a pena a gastrite, a queda de cabelo e as olheiras de ressaca ( sem ter ressaca..hehehe)
Amara

Rafael disse...

Muito legal o texto do blog. De fato, tive um progresso muito grande ao longo da PERESTROIKA . Tenho muitas experiências para contar e um grande diferencial no curriculo. Valeu a todos que fizeram acontecer a PERESTROIKA II.

rê disse...

Se é coisa da cabeça de vocês, é da minha também. Tudo o que a Perestroika ensinou tá guardado aqui. Latente. Vários pontos As esperando para ligar com os bês e dar forma a uma idéia. Não uma ideiazinha qualquer, mas uma idéia consistente, que tenha forma, e acima de tudo: conteúdo. Por isso, fiquem tranqüilos: todos nós vamos sair bem diferentes. Eu, um pouco mais atucanada, menos ingênua e com muito mais vontade de encontrar respostas. Espero um dia retribuir, não com meia dúzia de trabalhos excelentes, mas com uma obra que dê orgulho a todos vocês.

Valeu, guris! :)

Gabi disse...

Bah Guileee, disse tudo.

Pinky disse...

Eu entrei na Perestroika buscando uma coisa e acabei encontrando outra também. Não dei tudo de mim da forma que eu queria e não me envolvi com todos os trabalhos como gostaria, mas isso não muda nada o fato de eu ter mudado muito a minha visão sobre propaganda e sobre o que eu quero pra mim.
Frases e conselhos que não vou esquecer mesmo. Simplesmente do caralho. COmo disse a Gabi, indicados, ipod e Bóris são extras, já basta simplesmente fazer.

Guile Grossi disse...

Lendo tudo isso, essas auto análises do povo, agradeço também pelos putas colegas que fiz nesses 12 encontros, que além de profissionais filhos da puta, são amigos pra vida.



Porra.

g!panichi disse...

E caronas pras festas.

Ljnkä Kópjkät disse...

chorei, guile.
=~~~~


É uma pergunta besta essa do post. É ÓBVIO que todos vamos sair mudados (e pra melhor, claro). Eu disse pro Tiago, na primeira vez que ele me ligou pra confirmar minha inscrição que achava louvável essa atitude de vocês montarem esse curso e cada vez mais estou certa disso. Como o Guile disse: não sei onde iria parar só com a puc...

São 12 sábados que passam num piscar de olhos. Nunca acordei tão bem disposta num sábado pra uma aula. A proximidade com gente TOP do mercado só não é mais importante do que a formação da comunidade perestroika - gente com objetivos semelhantes, se conhecendo, aprendendo, se diferenciando.

Nas férias, aposto que vai bater a saudade. Mas vamos que vamos que é lvl 2 agora !


bjos

caco disse...

como assim mais que um semestre de facul?
mais que a faculdade inteira.
e nao eh d epuxa saco. eh o q eu acho mesmo.
nao acho que a perestroika serviu pra eu virar um publicitário, mas certo que agora posso dar os famosos passos firmes, porque sei onde to pisando.

Ana disse...

Esse, sem a menor dúvida, foi um semestre que fez A diferença na minha vida. E p/ melhor. Muito melhor.

=)