Blog da Perestroika

domingo, 29 de junho de 2008

Paródia.

Nunca tinha pensando muito sobre o assunto. Mas essa semana, depois de receber uma peça publicitária por email, me dei conta que a paródia é uma fórmula quase sem erro na propaganda.



Claro que existem paródias que não funcionam. E normalmente não funcionam quando os criadores não levam a paródia ao extremo.



A paródia exige que a gente pise fundo. Tem que ir até o fim, e não enfiar só a cabecinha. Tem que realmente avacalhar muito além do que o bom senso permite.



A paródia parece ser mais ou menos como o cachorrinho ou o nenê. Ou, para lembrar de uma outra fórmula que a propaganda já desgastou, a dublagem.

Botou cachorrinho ou nenê, a peça sempre fica cuti-cuti. Fez dublagem, provavelmente ficará engraçado (o Hermes e Renato recém se reiventou a partir do Tela Class, por exemplo). Paródia é a mesma coisa.



Não estou aqui dizendo que a paródia, os nenês, os cachorrinhos ou as dublagens, a partir de agora, devam ser banidos da propaganda.

Claro que não. Paródia é do caralho. Fazer bem paródia é mérito.



Mas quem me conhece, sabe que eu sempre procuro encontrar padrões nas coisas. Porque o único jeito de ser verdadeiramente criativo, de ser verdadeiramente inovador, é conhecer todos os padrões existentes. Para, então, subvertê-los.

Por sinal, esse meu jeito maniático por padrões é um prato cheio para uma paródia.

2 comentários:

Tiago Fonseca disse...

Olá ! gostaria de comentar sobre um post q vc fez há um certo tempo, sobre os bonés da New era.

http://blogperestroika.blogspot.com/2007/09/vingana-dos-aba-retas.html

Esse ae de cima, no caso.
Hum, queria saber aonde é a flagship store da New era, que no post vc disse que foi. Ela é no Brasil? nos Eua ? em qual cidade ?

Espero a sua resposta no meu email :

tico94@gmail.com

Obrigado, desde Já.

PS: se não puder mandar por email, td bem, vc pode postar no blog, q eu vou voltar aqui para verificar, ok ?

Anônimo disse...

Quem escreveu esse post sobre a New Era foi o Márcio. Pelo menos, eu acho. Escreve pra ele: marcio@cursoperestroika.com.br.

Até.
tg