Blog da Perestroika

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Day After

Quando a gente vive uma experiência muito intensa, muito fora da rotina, ela só costuma fazer sentido no dia seguinte. O chamado Day After.

Com o Ironman não poderia ser diferente.

Eu acordei hoje cheio de dores pelo corpo, parecia um velho. Mas, pelo menos, meu cérebro estava novinho, com a bateria recarregada. Ainda não consegui processar tudo - e acho que vou demorar alguns meses pra botar em ordem o que ouvi.

É difícil resumir o que eu estou sentindo. É uma mistura de dever cumprido, de orgulho por ter feito um lance do caralho, de alívio por tudo dar certo, de ressaca pelo cansaço, de saudade pelo clima de asto astral que rolou. E de uma puta reaproximação com vocês, alunos do Criação 2.

A noite, o bus, as conversas de igual pra igual, as besteiradas e os tragos. Foi tudo sensacional.

Mas isso é como EU estou me sentindo. E vocês, como acordaram hoje? Eu vi que no Padrão Iogurte o pessoal já se manifestou. Mas seria legal ver a opinião da galera aqui, nos comentários.

(A Turma 1, que participou de parte, também pode dar pitaco. E até quem só acompanhou por Twitter pode comentar. O espaço está 100% aberto.)

Alguém se arrisca?

10 comentários:

Bruno disse...

acho que tá todo mundo com o cérebro ainda fritando. vai levar um tempo pra organizar tudo na cabeça e assimilar os conteúdos.
mas foi MUITO FODA.
parabéns pra vocês, caras.

Gabi Elias disse...

Quando conseguir organizar um pouco das informações farei um post com a minha opinião. Mas sem dúvidas ainda vamos ter muito o que falar.

Hoje cheguei na agência já me perguntaram: Tá Gabi, tu tava lá na Ipanema ontem? Eu ouvi o programa do Zé do Belo. =)

Anônimo disse...

Eu não faço idéia qual é a audiência do Churrasquinho do Zé do Bêlo. Mas esse tipo de coisa surpreende, né? O canhão da mídia é foda. Só espero não ter dito nenhuma bobagem, pq eu já tava meio bêbado naquela hora.

tg

Carolzinha. disse...

Foi tudo impecável, foi um findi de agradáveis surpresas. Vocês conseguiram, guris, NINGUÉM IMAGINAVA NADA DAQUILO. E só vivendo pra saber. A sensação de dever cumprido deve ser algo, porque víamos vocês correndo de um lado pro outro com o cronograma na mão pra tudo sair perfeito, e saiu.
Em cada uma das experiências, dava pra se tirar uma boa quantidade de conteúdo valiosíssimo e guardar para si. E nos aproximou um monte (vocês devem estar de saco cheio das nossas caras) todo mundo ficou um tempão juntos, mas isso foi ótimo! Como falaram foi de igual pra igual, foi possível ver vocês como ouvintes, na mesma posição que a gente e pudemos falar sobre coisas que eu nunca imaginaria falar - tanto com os convidados quanto com vocês, professores.
Da discussão acalorada sobre ufologia ao silêncio reverenciador a Jorge Furtado, o Iron Man foi sensacional. A maratona foi além das expectativas e vocês nos proporcionarem esse tipo de coisa que me faz ter o carinho que vocês sabem que tenho, pela Perestroika.

Parabéns pra vcs!

bjos

Anônimo disse...

Uma coisa que me tocou pra caralho foi a humildade do João Derly. Tem cara que ganha um bronzezinho no Salão e fica se achando o cara. E o João, que é o MELHOR DO MUNDO, é daquele jeito. Sereno, tranqüilo, muito autêntico. Foi um tapa na minha cara.

tg

Melissa disse...

Assim é sacanagem com a galera criação 1.
Fiquei super curiosa!

Mas a palestra do Paulão tava demais...

Bj

Mel

g!panichi disse...

Bom, o texto no PI é meu, então já despejei lá as minhas impressões sobre o IronMan.

Mas foi engraçado a Gabi dizer que perguntaram pra ela sobre o lance na Ipanema, pois quando cheguei na agência, o Duda Tajes me perguntou a mesma coisa. Hehehe. O impacto foi maior que o esperado pelo jeito.

lucas feix disse...

Sensacional o Ironman. Muitas lições de todos os convidados. Parabéns pela organização, a qualidade, o conteúdo. Impossível não sentir-se privilegiado, homenageado. Juro que voltei da Sogipa, no bus, já com aquele questionamento do João Derly, sobre sentir-se meredor de tanta coisa.

Abração e denovo: valeu!

William disse...

Vão ter q se puxar MUITO pra fazer um Ironman ainda melhor, para a nossa turma, no ano q vem!

Ana Rovati disse...

Ah, esse Ironmann. Foi incrível! Minhas expectativas eram altas, e ainda assim surpreendeu. Para mais, muito mais. Porque a cada momento era um novo aprendizado, uma nova observação, um novo e inquientante assunto/pessoa. Trocar idéias com os convidados e com os professores foi muito legal. O ironmann me deixou com um turbilhão de sentimentos a flor da pele: ansiedade para fazer muitas coisas, tranqüilidade ao lembrar que a Martha M. escrevia sem pretensões, felicidade por saber que fiz parte do Ironmann e faço parte da Perestroika.

:)