Blog da Perestroika

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Poesia visual impulsionada pelo You Tube.

A partir de agora, o Blog da Perestroika cresce e passa a contar com contribuições de todos os nossos sócios, de todos os nossos novos cursos.

E a estréia não poderia ser melhor. Um texto inspiradíssimo da Carla Mayumi, Diretora de Planejamento da Box.

Aproveitem.

***

Poesia visual impulsionada pelo You Tube.

Quem gosta de poesia? Quase todo mundo. É bonito, é culto, é legal gostar de poesia. Agora quem de fato lê poesia, compra livro de poesia, passa longos minutos sentado em casa e troca a TV por um livro de poesia? Para quem se não se identifica com essa cena quase idílica, a internet vem ajudando a reestabelecer um elo com a poesia, de um jeito visual, lúdico e bem familiar: através da telinha do You Tube.



Billy Collins, poeta americano dos nossos dias, fala do sucesso dos seus poemas no You Tube da seguinte forma: "I like poetry that ambushes people, like it's no big deal, you're cruising around YouTube, you know, and there's a poem." (algo assim: "gosto da poesia que te pega sem querer, como se não fosse grande coisa, tipo você está passeando pelo You Tube e dá de cara com um poema"). Billy Collins, através da sua poesia, se aproxima da vida cotidiana, fala do cachorro, das calçadas, das coisas com as quais topamos quando olhamos para os objetos dentro de casa, mas que na maioria das vezes não nos damos conta de que estão ali. Os próprios títulos dos poemas falam dos momentos diários de cada um de nós: "Man Listening To Disc", "The Best Cigarette".

O vídeo de um de seus poemas, "Forgetfulness", é um dos que melhor representam esse movimento, é campeão de acessos dentro da temática poesia: já teve mais de 400.000 acessos, o que para uma peça literária não é pouco. Não é para menos: o criador do vídeo, Julian Grey, conseguiu colocar ainda mais poesia no que já era lindo, mesmo que dessa forma tenha transformado a peça numa outra peça.

Deixando um pouco a poesia de lado e falando do que isso tem a ver com business, com criatividade, com planejamento: quem criou esse vídeo foi a área de entertainment da JWT (sim, a agência de propaganda), que realizou a peça para o Sundance Channel. Isso mostra como a inspiração, a arte e a cultura podem conversar de maneira verdadeira com a arte da propaganda. E mostra principalmente a importância de pessoas que trabalham no mercado de marcas estarem ligadas e conectadas a movimentos fora do próprio umbigo. Se todo mundo fica "se inspirando" sempre nas mesmas fontes, nada novo surge no front. É só olhar para o lado que tem um monte de coisa nova e inspiradora acontecendo. Entender isso é um passo de fazer as tendências acontecerem.

Video do poema Forgetfulness, de Bill Collins:



Sem querer acusar ninguém, mas o vídeo "Forgetfulness" parece ter sido uma inspiração para o filme do Itaú Personalite, julguem por si:

Video do filme do Itaú Personalité:



* Neste link, para quem quiser mais, tem todos os vídeos realizados para poemas do Billy Collins - sim, tem vários, o cara realmente despertou o desejo de videomakers por transformarem seu texto em linguagem visual:

http://www.bcactionpoet.org. Ou clique aqui.

4 comentários:

Tiago Mattos disse...

O Blog da Perestroika tá cada vez melhor. Bem-vinda, Carla.

tg

Gabriel disse...

Excesso de referência?

! \< & disse...

overdose

Carla Mayumi disse...

é por isso que a palavra tem que ser "inspiração" e não "referência".